quinta-feira, 31 de março de 2011

Posso ajudar você(3º e 5ºperíodo)!!!!

Para dar a oportunidade  de participação a aqueles que não  apareceram no blog ainda, vamos trabalhar a partir de hoje o programa Posso ajudar você!!!  para participar você vai  fazer assim:
1)escolher um colega que  está precisando de  ajuda  para trabalhar no blog. Contar para o colega que ele foi escolhido;
2) explicar e mostrar ao colega o passo a passo para ele se tornar um colaborador e seguidor do blog;
3) mostrar a ele como colocar um post no blog com todas as recomendações sobre título, marcadores, fontes consultadas, correções ortográficas,etc.;
4) ver com ele as tarefas que estão pendentes e orientá-lo sobre como fazer;
5) você pode fazer isto pessoalmente ou por e-mail, mas não esqueça de combinar com o colega!!
6) para começar você vai postar no Comentários quem você vai ajudar.
7) Valeu pela participação!!!!!!! ((•)) Ouça este post

quarta-feira, 30 de março de 2011

O que é Tipologia Documental? (Sanny, Daiane, Fernanda Palhares)

Tipologia Documental é o estudo que tem como objeto os tipos documentais, e entendidos como a configuração que assume a espécie documental de acordo com a atividade que a gerou, a natureza do conteúdo, ou técnica de registro. TIPO DOCUMENTAL = ESPÉCIE + FUNÇÃO Exemplos de tipologia documental:
  1. Ata de reunião da CIPA
  2. Contrato de locação de imóvel
  3. Contrato de prestação de serviço
  4. Contrato de trabalho

Fonte: BELLOTTO. Como fazer análise diplomática e análise tipológica de documento de arquivo. Disponível em: http://www.saesp.sp.gov.br/cf8.pdf . Acesso em 01 abr. 2011. ((•)) Ouça este post

Palestra com Bibliotecárias de referência do UNIFOR-MG

A palestra com as bibliotecárias de referência do UNIFOR-MG foi iniciada com uma questão primordial para o funcionamento da biblioteca,o conceito de produtos e serviços,pois o usuário é tambem um cliente,do qual devemos conhecer suas necessidades para atênde-lo da melhor forma possível,esta visão é um grande ponto de partida para ser dinâmico e objetivo, também nos foi dito que o serviço deve ser oferecido dentro da nossa realidade,ou seja,dentro da possibilidade estrutural oferecida,porem não devemos nos acomodar,devemos apresentar projetos aos nossos superiores para que possamos buscar mudanças positivas,projetos que ilustrem as ideias de forma clara,e mostre o beneficio da mundança,assim vemos que um bom profissional não pode se entregar ao conformismo,ele precisa ter mais ação e menos lamentação. Outro ponto abordado de grande importância é a pesquisa de usuário, pois para que seja possivel oferecer um serviço de alta qualidade é preciso conhecer suas necessidades,e para isto é preciso de uma pesquisa séria e eficiente.A importância da integração do professor com a biblioteca para a familiarização dos alunos com este ambiente de suma importância para sua vida acadêmica tambem foi abordada.Na segunda parte da palestra vimos o prático funcionamento de busca de livros pelo GNUTECA e busca de periódicos pelo Microisis. A departamentalização da biblioteca tambem foi exposta para que pudéssemos ter uma visão ampla de seu funcionamento. Nos foi chamada atenção sobre a importância da independência do usuário,da qual poupa o proprio tempo do usuário em suas pesquisas e a do profissional bibliotecário,e se tratando de serviços prestados tempo é um fator de qualidade.Outro ponto abordado foi a boa aparência,pois a biblioteca deve ser um local atraente,e o bibliotecário precisa ter uma boa postura, a imagem de uma profissional sério e eficiente. Por fim, terminamos a palestra com perguntas que nos foram respondidas de forma clara e satisfatória, para o encerramento do belo passeio pelo munda da biblioteca universitária. Denilson Marçal de Sousa.
((•)) Ouça este post

Um mapa dos estudos de usuários da informação no Brasil - Estudos de uso e usuários da informação - Profª Tânia

 Carlos Alberto Ávila Araújo Simpósio apresentado dia 28/03/2011 por: Adriana, Felipe, Jordano, Laís Brunelle, Magda e Natália Leal. 
O blog já faz parte de nossas visitas diárias a internet, e a consciência ecológica está em evidência, por isso o resumo da apresentação está aqui, no novo local de encontro do curso de biblioteconomia. 
 O trabalho apresentado foi embasado nos resultados da pesquisa elaborada por Araújo(2009), que fez o levantamento de artigos publicados em 7 periódicos brasileiros entre os anos de 1998 e 2007, todos presentes na lista Qualis da Capes com classificação nacional são: Ciência da Informação(IBICT), Perspectivas em Ciência da Informação(UFMG), Datagramazero(IASI/RJ), Transinformação(PUCCamp), Informação & sociedade: estudos(UFPb), Encontros Bibli(UFSC) e Em Questão(UFRGS). 
Os artigos selecionados passaram a compor um banco de dados, sobre o qual se efetivou o estudo, o objetivo de análise destes textos foi compor um mapa de estudos empíricos realizados com usuários da informação no Brasil: o que se estuda, como se estuda, quem estuda, a partir de que referencial. Para tanto, buscou-se identificar conforme ressaltado por Araújo(2009):  
a) os tipos de usuários estudados, a partir de sua caracterização, ambiente ou atividade; 
b) os tipos de fontes, sistemas ou serviços de informação estudados; 
c) as técnicas de coletas de dados utilizadas no estudo; 
d) a procedência institucional dos autores dos artigos; 
e) as referências bibliográficas dos artigos, analisados a partir de uma contagem bibliométrica. 
 De acordo com a pesquisa bibliometria: é o estudo da produção e uso da informação a partir da utulização de métodos matemáticos, é a precursora dos estudos de usuários. Conforme exposto no simpósio os dados apresentados permitiram visualizar um perfil do que se tem feito no campo de estudos de usuários no Brasil.  
 Araújo(2009) acredita que a prática de pesquisa sobre os usuários da informação tenha que ocorrer onde se estuda estes indivíduos como biblioteconomia, arquivologia, museologia, sistemas de informação e pós graduação em Ciência da Informação.  
 O grupo concluiu que a biblioteca tem um papel social, pois possibilita condições de acesso a informação, instrumentos adequados que atendam às necessidades dos usuários, atualmente ele é o maior bem da instituição. E quanto mais pesquisas sobre estes indivíduos da informação mais nós futuros bibliotecários teremos condições de atendê-lo com eficácia e precisão. 
Referência
ARAUJO, Carlos Alberto Ávila. Um mapa dos estudos de usuários da informação no Brasil. Em Questão, Porto Alegre, v.15, n.1, p.11-26, jan./jun. 2009.
((•)) Ouça este post

terça-feira, 29 de março de 2011

(Re)visitando os estudos de usuários: entre a ‘’tradição’’ e o ‘’alternativo’’ - Estudo de Uso e Usuários da Informação - Profª Tânia

Alunos: Luana Melo, Nathane Saldanha, Paulo Henrique Gontijo, Rodrigo Belo, Samira Vidal, Thaís Mara Fernandes e Thamara Castro.
Como havíamos combinado no dia da apresentação, aqui está o texto referente ao nosso trabalho que teve como tema: (Re)visitando os estudos de usuários: entre a ‘’tradição’’ e o ‘’alternativo’’.
Etimologicamente, a palavra informação possui origem latina, do verbo “informare”, que significa dar forma, criar. Porém, também, representa construção de idéia ou noção.
Popularmente, a informação é compreendida como esclarecimento que se dá a alguém sobre alguma pergunta. Assim, para Dantas (2000, p. 24), “o conceito de informação é difuso e está relacionado com uma série de outros conceitos e fenômenos”.
A informação deve ser percebida e aceita como geradora de conhecimentos, contribuindo para o desenvolvimento do indivíduo, de modo particular, e do coletivo, a partir da influência do indivíduo para com o seu grupo social ou entorno. Percebemos que a necessidade de informação em função do conhecimento surge da dúvida e do esforço de dominá-la, já a necessidade de informação em função da ação desencadeia uma ação com objetivo, visando eficácia dessa ação.
A informação é útil para estimular o pensamento e a ação, através das idéias de outras pessoas, conhecimentos, experiência e realizações; enfim, para atender as necessidades requeridas. A informação é, essencialmente, vista como um utensílio valioso e útil para o indivíduo em sua tentativa de prosseguir com sucesso sua vida.
Num país repleto de desajustes sociais, econômicos e políticos, como o Brasil, a disponibilidade ou a possibilidade de acesso à informação não quer dizer que a mesma esteja tendo uso eficaz que pode gerar conhecimento e por conseqüência desenvolvimento.
Os estudos de usuários devem se configurar como pesquisas que objetivam, sobretudo, desvendar quem são os usuários da informação, quais suas reais necessidades e como se dão suas buscas e usos da informação e, também, como pesquisas que ressaltam aspectos da interação entre usuários e unidades de informação que, por sua vez, devem colocar o conteúdo e a tecnologia a serviço dos seus usuários.
Não podemos, todavia, tratar sobre usuários sem antes nos dispormos à reflexão acerca da informação quando assimilada, tem possibilidade, além dessa geração/aquisição do conhecimento, de beneficiar quem a busca e usa, podendo dessa mesma forma, influenciar seu entorno (sócio-político-econômico-cultural,etc.).
Guinchat e Menou (1994, p. 483) consideram que os usuários da informação podem ser divididos em três grupos principais: os usuários que ainda não estão na vida ativa profissional ou estudantes, os usuários engajados na vida ativa, cujas necessidades de informação se originam da sua vida profissional e o cidadão, cujas necessidades de informação são gerais e ligadas à sua vida social.
Consideramos, nessa perspectiva, que as unidades e os sistemas de informação, através de seus profissionais/gestores/manipuladores, precisam conceber que ainda há muito a ser feito para integrar, verdadeiramente, os usuários ao que é oferecido pelos mesmos, e tudo isso deve começar ou passar pela compreensão e pelos estudos dos próprios usuários, pois só pesquisando-os é que podemos conhecer melhor suas reais necessidades informacionais e possibilidades de desenvolvimento.
(Re)visitando o artigo elaborado verifica-se que os estudos de usuários envolvem conceitos básicos entre estes, informação. Esse conceito, por sua vez, tem muitas definições uma vez que depende do contexto onde a palavra esteja inserida. No caso dos estudos de usuários, devemos usar uma definição apropriada aos propósitos de cada pesquisa. Portanto, tudo gira em torno da informação e do sentido que o pesquisador tem em mente quando estabelece os objetivos de sua pesquisa. Assim, uma informação importante para um usuário pode ser irrelevante para outro usuário. 
Referência 
COSTA, Luciana Ferreira da; SILVA, Alan Curcino Pedreira da Silva; RAMALHO, Francisca Arruda Ramalho. (Re)visitando os estudos de usuário: entre a “tradição” e o “alternativo”. Datagramazero, v.10, n.4, jul./ago., 2009. Disponível em: < http://www.dgz.org.br/ago09/Art_03.htm >. Acesso em: 22 de mar de 2011.
((•)) Ouça este post

sábado, 26 de março de 2011

Arquivo: definição, função, tipos (Ionara, Isadora, Rúbia)


Definição 
Antigamente, o arquivo era conceituado como um depósito de documentos e papeis de qualquer espécie, tendo sempre relação com os direitos das instituições ou indivíduos. Surge então a idéia de arquivo administrativo e arquivos históricos.A conceituação moderna define arquivo como um “conjunto de documentos oficialmente produzidos e recebidos por um governo, organização ou firma no decorrer de suas atividades, arquivados e conservados por se e seus sucessores para efeitos futuros”. Segundo o autor (SOUZA, 1950, apud PAES, 2004, p. 19). O termo arquivo pode também ser usado para designar: 
· conjuntos de documentos; 
· móvel para guarda de documentos; 
· local onde o acervo documental devera ser conservado; 
· órgão governamental ou institucional cujo objetivo seja o de guarda e conserva a documentação ; 
· títulos de periódicos – geralmente no plural virgula devido a influência inglesa e francesa
Função A função básica do arquivo é tornar disponíveis as informações contidas no acervo documental sob sua guarda. 
Para que os arquivos possam desempenhar suas funções, torna- se indispensável que os documentos estejam dispostos de forma a servir ao usuário com e precisão e rapidez. A metodologia a ser adotada devera atender as necessidades da instituição a que serve, como também a cada estágio de evolução por que passam os arquivos.
Tipos de arquivos
Essas fases são definidas por Jean-Jacques Valette (1973) com as Três Idades do Arquivo: corrente, intermediário, permanente.
Arquivo de 1ª idade ou corrente: constituído de documentos em curso ou consultados frequentementes, conservados nos escritórios ou nas repartições que os receberam e os produziram ou em dependências próximas de fácil acesso.
Arquivo de 2ª idade ou intermediário: constituídos de documentos que deixaram de ser frenquentemento consultados, mas cujo órgãos que os receberam e os produziram podem ainda solicitá – los, para tratar de assuntos idênticos ou retomar um problema novamente focalizado. Não há necessidade de serem conservados próximos dos escritórios. A permanência dos documentos nesses arquivos é transitória. Por isso, são também chamados de “limbo” ou “purgatórios”.
Arquivo de 3ª idade ou permanente: constituídos de documentos que perderam todo valor de natureza administrativa, que se conservam em razão de seu valor histórico ou documental e que constituem os meios de conhecer o passado e sua evolução.
A cada uma dessas fases corresponde uma maneira diferente de conservar e tratar os documentos e, consequentemente, uma organização adequada.
Referência
PAES, Marilena Leite. Arquivo: teoria e prática. 3 ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2004.
((•)) Ouça este post

Documento e documento de arquivo:definição e finalidade(Juliana, Elisa e Cristianne)

Documento é um conjunto constituído por um suporte [peça] e pela informação que ele contém, utilizáveis para efeitos de consulta ou como prova. Esta palavra pode igualmente ser utilizada no plural como um significado idêntico ao do singular.Documentos de arquivo: são documentos que contêm uma informação seja qual for a data, forma e suporte material, produzidos ou recebidos por qualquer serviço ou organismo público ou privado, no exercício de sua atividade. Em resumo, um documento é constituído por um suporte ou peça e por um conteúdo ( a informação nele registrada).(ROUSSEAU; COUTURE, 1994, p.137).
A finalidade dos documentos é servir de prova, segundo Rousseau e Couture (1994, p.157) na idade média documentos eram conservados unicamente por causa do seu valor. Na idade moderna, continua a ser esta a razão que justifica a conservação de muitos documentos, para se provar ou pôr em evidência um direito ou uma obrigação.
Fonte: ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1994.
((•)) Ouça este post

sexta-feira, 25 de março de 2011

Blog Fontes vira notícia!!!!

O blog Fontes foi notícia no site do UNIFOR-MG no dia  23/03.A matéria conta sobre os motivos para a criação do blog e  como a ideia foi recebida pelos alunos. Veja a matéria completa clicando aqui! 
Quer  dar a sua opinião? use o espaço Comentários. ((•)) Ouça este post

Serviço de referência virtual - 3º período(disciplina Fontes gerais) Postar até o dia 31/03/11! ! !

Photaki
Atenção 3º período esta tarefa(Trio) é obrigatória
Agora nossa discussão será em torno do tema: Serviço de referência virtual. E, vamos  fazer da mesma forma. Buscar trabalhos científicos que tratam do tema em questão focando os seguintes aspectos:
            1)Evolução histórica, Definição, Objetivos, Recursos utilizados, dar 1 exemplo  
            2)Fazer um texto a partir dos tópicos acima, mostrando diferenças e semelhanças entre eles, colocando as citações e a fonte consultada { (sobrenome do AUTOR, ano, p. X (página de onde tirou o texto)}
                  3)Inserir os seus comentários para ligar uma parte a outro e mostrar as citações corretamente. Apresentar as fontes consultadas;

 Sugestão de autores que tratam do tema: Murilo Bastos da Cunha, Miguel Ángel Márdero Arellano; Carlos H. Marcondes & Marília A. R. Mendonça, etc. e podem buscar outros
Importante: a) nesta tarefa a postagem deve ser feita por 1 aluno diferente daquele que postou as mensagens anteriores. Vamos fazer um rodízio, ok?           
                       b) usar como título do post: Serviço de referência virtual(nome dos alunos) e postar o seu trabalho até o dia 07/04/11 às 18:00
Bom trabalho!!!!

((•)) Ouça este post

Serviço de referência.Vamos avaliar?(Natália R)

Com base no que foi lido fica nítido que uma biblioteca não existe sem um bibliotecário de referência.Este profissional lida diretamente com seu usuário ,o que possibilita que este conheça mais o seu público alvo e a partir disso pode ver onde a pontos falhos e corretos no atendimento ao usuário e procurar aprimorar seus serviços.É preciso fazer um treinamento deste usuário para q ela consegue encontrar o material que necessita,e explicá-lo os produtos e serviços de sua unidade de informação. ((•)) Ouça este post

quinta-feira, 24 de março de 2011

Lançamento Oficial do blog Fontes

Arte final by Paulo Lucas martins

 Quer deixar o seu comentário sobre este post? Então seja o primeiro e escreva!
((•)) Ouça este post

Bibliotecários em ação: compartilhando experiências(2)

Este post é para contar sobre a trajetória profissional  de uma bibliotecária experiente, criativa e que gosta do que faz. Aqui vai o depoimento de Maria de Fátima  Zazá, boa leitura!
☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺
Uma colega pede para contar minha experiência profissional para seu blog. Confesso que tenho dificuldade em falar sobre minha trajetória e decido começar do ponto onde estava na fila da inscrição para o vestibular da UFMG com uma grande amiga e ali recebemos um folheto informativo dos cursos oferecidos por esta instituição. E, naquele momento, decidimos fazer a inscrição para o curso de Biblioteconomia. Por que, justamente, este curso? Tínhamos o sonho de entrar para a Universidade e este parecia o caminho mais curto e fácil, curso pouco concorrido e que nos colocaria rapidamente no mercado de trabalho.
Enfim, conseguimos entrar. Na faculdade, tudo era completamente novo, mas bem diferente das escolas até então freqüentadas. Primeiro porque era uma ciência completamente desconhecida e, em segundo lugar, porque era pura teoria. Decidimos correr atrás da prática, através dos estágios, que valorizava este tipo de mão de obra, por ser escassa, diante da oferta do mercado e, ainda, oferecia remuneração. Este foi o ponto fundamental para a compreensão dos conteúdos da escola e o início da escalada profissional.
Depois da formatura o primeiro emprego, com ele a insegurança e a euforia. Após, as propostas de trabalho e a decisão da mudança e deixar para trás tudo o que foi construído. Nesta troca, tive a maior escola que alguém poderia desejar, nesta nova empresa aprendi muito do que sei e pude entender mais sobre a profissão, como aplicar as técnicas aprendidas, adaptá-las à realidade e como disponibilizá-las de forma efetiva ao cliente, de acordo com suas expectativas.
Passei por muitos clientes, por diferentes empresas, trabalhei com vários profissionais, da minha área e de outras, elaborei e implantei  projetos, treinei equipes, afastei da profissão, tentei outros caminhos...Hoje, com trinta e dois anos de formada e ainda na ativa, reflito e concluo que é fundamental fazer aquilo para o qual nos preparamos, saber fazê-lo , mas sempre abertos às novidades, idéias e inovações. Mas o que me valeu neste caminho que venho trilhando, sem dúvida , é o maior insumo que se pode esperar do profissional, chamado “criatividade”, que nos permite encarar os desafios surgidos, solucionar problemas, ter coragem, ousar, recomeçar e... escrever este depoimento.
Desejo sucesso a todos que estão iniciando o seu caminho!



((•)) Ouça este post

Bibliotecas e redes sociais

Para mostrar que não podemos nos distanciar das redes sociais, vamos publicar  a partir de hoje alguns posts para discutir o tema.  Para começar segue o exemplo da biblioteca universitária da UFMG que está utilizando as mídias sociais para incentivar a preservação do acervo das bibliotecas do sistemas de bibliotecas. As mídias sociais que estão sendo utilizadas são: a criação de um site para ajudar na divulgação da campanha a biblioteca universitária, o twitter para o envio de mensagens e o flickr onde estão hospedadas a galeria de fotos de obras danificadas pelo uso indevido. Vale a pena acessar  a matéria e o link para as mídias sociais.


((•)) Ouça este post

Serviço de Referência - Vamos Avaliar?(Alexia e Matheus )

Para reforçar a analise sobre o serviço de referência, é necessário que nós continuemos a ler e fazer uso das técnicas utilizadas por profissionais que atuam na área.
Vários autores abordam este tema, o que fica bem claro no artigo abaixo e que poderá servir de base para os nossos trabalhos acadêmicos.
http://www.cinform.ufba.br/vi_anais/docs/LidianeElaineServicoReferencia.pdf
((•)) Ouça este post

quarta-feira, 23 de março de 2011

Características dos documentos de arquivos(Angélica, Fernanda e Natália)

Atualmente os arquivos são muito utilizados em empresas, instituições e até para uso pessoal. Com objetivos comuns de guarda, preservação, provas, consultas... entre outros. Documentos arquivísticos possuem características em comum:

" consideram-se documentos históricos e de valor permanente, todos os livros, papéis, mapas, fotografias, ou qualquer espécie de elemento informativo, independentemente de sua forma ou características físicas, produzidos, elaborados ou recebidos por instituições públicas ou privadas, em conformidade com suas atribuições legais ou em virtude de suas transações e conservados, ou adequados a tal fim, por essas instituições ou seus legítimos sucessores, seja como prova de suas funções, diretrizes, normas, realizações ou atividades, sejam em atenção ao valor informativo dos dados que nos mesmos se contenham".(Anteprojeto de criação do Sistema Nacional de Arquivos, art. 1o, parágrafo único)."

O arquivo é muito importante para a memória de uma instituição, comunidade onde ele está inserido. Desde a Antiguidade até os dias atuais profissionais desta área contribuem frequentemente para a organização de centros documentais com características de cada meio trabalhado .

Fonte: JARDIM, Rosa Maria. Invenção da Memória dos qrquivos públicos.Ciência da Informação,v. 25, n.2, 1995
((•)) Ouça este post

Serviço de Referência (Paulo H. / Rodrigo)

 Paulo e Rodrigo, alunos do 3º período participaram do Encontro com os experientes na biblioteca do UNIFOR-MG. A seguir eles relatam  alguns detalhes deste encontro:

O primeiro passo a ser seguido dentro da biblioteca é no guichê “Posso ajudar” onde o aluno tira as suas dúvidas antes de iniciar a pesquisa. A maior dificuldade do bibliotecário é de ensinar o usuário a pesquisar nos terminais e estantes sozinhos, apesar do Gnuteca ser um programa de fácil acesso os usuários possuem muita dificuldade em utilizá-lo pela primeira vez por isso o bibliotecário deve instruí-lo de maneira que ele possa utilizá-lo também em casa.
No processamento técnico a bibliotecária nos mostrou como funciona o processamento dos livros e periódicos, onde cada um tem o seu computador para cadastrá-los no programa, outro dado importante que nos foi mostrado foi de que no futuro a digitalização diminuirá a ida dos usuários na biblioteca, pois será tudo disponível online.
Ao final da visita a biblioteca as bibliotecárias responderam algumas duvidas que os alunos tiveram, como por exemplo: qual a maior dificuldade com relação ao atendimento aos usuários ou seja os usuários querem as informações em curto prazo e nem sempre o bibliotecário têm estas informações em mãos.

Se você quizer complementar com outras informações, pode registrar a suas impressões deste encontro no espaço Comentários
((•)) Ouça este post

Tarefa p/ o 5º período disciplina gestão de documentos I

Pessoal da disciplina gestão de documentação I, o  próximo tema que será discutido em sala é documento e documento de arquivo. Para começar as discussões você  vai pesquisar  o tema em fontes de informação credenciadas. Trabalhar  em trio, escolher 1 dos tópicos abaixo ( que está entre barras ), elaborar um texto inserindo as citações corretamente, indicar no final do post a referência da fonte consultada e nome dos membros do grupo, não esquecer de colocar um título. O tema foi dividido em partes para facilitar a distribuição das tarefas. 1)/Documento e documentos de arquivo (definição, finalidade)/ 2)características de um documento de arquivo/3)classificação (gênero)/, 4)classificação (natureza do assunto) /5)tipologia/,/ 6) valor dos documentos/ 7) Arquivos (definição, função)/; 8) documento eletrônico e digital (definição e características). Você pode postar até o dia 24/03 e vamos discutir na próxima aula. Bom trabalho!!!

((•)) Ouça este post

terça-feira, 22 de março de 2011

Serviço de Referência - Vamos Avaliar? (André)

Ter esta outra forma de comunicação, de interação com os demais individuos não somente da sala, mas de todo o ambiente virtual, que é o blog, está sendo uma experiência muito interessante. As vezes nos deparamos com alguns métodos de ensino um tanto quanto obsoletos principalmente no que tange nosso curso de biblioteconomia, mas a Prof. Célia resolveu inovar, o que em minha opinião é uma característica que falta não somente a alguns professores mas a qualquer tipo de profissional, o tempo passa, as pessoas mudam, as formas de se trabalhar consequentemente mudam.
Como ponto negativo, creio que compartilho da opinião de muitos outros colegas, é o acesso ao nosso blog durante as aulas que acontecem no laboratório, digamos que os computadores não suprem a necessidade de futuros profissionais da informação, cuja principal meta é organizar e disponibilizar informação da maneira mais rapída possível.
Quero parabenizar a Prof. Célia pela iniciativa, se todos os professores tivessem a disposição, a criatividade e as atitudes inovadoras dela, nosso curso estaria cada vez mais agradável, mais dinâmico e certamente mais tecnológico ((•)) Ouça este post

Oportunidades

[21/03/2011] Ministério Público do Estado de São Paulo
Inscrições: 21 de março a 17 de abril de 2011
Remuneração: R$ 3.747,10
Vagas: 02
Taxa: R$ 70,00
Data prevista para a prova: 22/05/2011
Site: www.institutocidades.org.br/

[18/03/2011] Prefeitura de São Miguel do Oeste - SC
Inscrições: 15 de março a 15 de abril de 2011
Remuneração: R$ 2.149,46
Vagas: 01
Taxa: R$ 80,00
Data prevista para a prova: 07/05/2011
Site: http://www.saomiguel.sc.gov.br/

[17/03/2011] Prefeitura de Ribeirão Pires - SP
Inscrições: 14 de março a 01 de abril de 2011
Remuneração: R$ 1.535,51
Vagas: Cadastro de reservas
Taxa: R$ 51,00
Data prevista para a prova: 01/05/2011
Site: www.mouramelo.com.br/

[16/03/2011] Prefeitura de Santa Maria - RS
Inscrições: 15 a 31 de março de 2011
Remuneração: R$ 1.604,45
Vagas: 01
Taxa: R$ 60,00
Data prevista para a prova: 22/05/2011
Site: www.objetivas.com.br/

[10/03/2011] UFMA - Universidade Federal do Maranhão
Inscrições: até 21 de março de 2011
Remuneração: R$ 2.989,33
Vagas: 01 (Campus São Luis)
Taxa: R$ 79,00
Data prevista para a prova: 08/05/2011
Site: http://glassfish.ufma.br:8080/site/geral/index.jsf

[04/03/2011] Tribunal Regional do Trabalho - 23ª Região - MT
Inscrições: 21 de março a 11 de abril de 2011
Remuneração: R$ 6.51,52
Vagas: Cadastro de reservas
Taxa: R$ 70,00
Data prevista para a prova: 15/05/2011
Site: www.concursosfcc.com.br/concursos/trt23110/index.html

[01/03/2011] Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais
Inscrições: 15 de abril a 14 de maio de 2011
Remuneração: R$ 2.900,00
Vagas: 01
Taxa: R$ 60,00
Data prevista para a prova: 29/05/2011
Site: www.fumarc.com.br/

[23/02/2011] Prefeitura de Palhoça - SC
Inscrições: 21 de fevereiro a 28 de março de 2011
Remuneração: R$ 1.417,50 (30 h.)
Vagas: 01
Taxa: R$ 90,00
Data prevista para a prova: 10/04/2011
Site: http://2011palhoca.fepese.org.br/

[22/02/2011] Prefeitura de Contagem - MG
Inscrições: de 13 de abril a 12 de maio de 2011
Remuneração: R$ 1.451,37 (Bibliotecônomo - 36 h.) e R$ 2.350 (Técnico Superior em Gestão da Informação- 40 h.)
Vagas: 06 para Bibliotecônomo; 02 para Técnico Superior em Gestão da Informação
Taxa: R$ 70,00
Data prevista para a prova: 19/06/2011
Site: http://www.gestaodeconcursos.com.br/

[18/02/2011] Prefeitura de Carvalhópolis - MG
Inscrições: de 11 de abril a 11 de maio de 2011
Remuneração: R$ 1.337,00 (20 h.)
Vagas: 01
Taxa: R$ 80,22
Data prevista para a prova: 19/06/2011
Site: www.sespconcursos.com.br/

Fonte: http://www.biblioconcursos.com.br/ ((•)) Ouça este post

segunda-feira, 21 de março de 2011

O Encontro com os experientes foi nota 10!

3º perído na biblioteca do UNIFOR-MG 17/03
Conseguimos  cumprir nosso objetivo com o encontro que aconteceu no dia 17/03 entre as bibliotecárias de referência e os alunos do 3º período do curso de biblioteconomia. Ainda tivemos a participação de  2 alunas do 5º período e que estão fazendo uma pesquisa sobre serviço de referência. Foi uma noite de aula com compartilhamento pleno das experiências das bibliotecárias de referência do UNFOR-MG. A conversa foi cheia de informações e dicas para os alunos.

Como professora quero  agradecer à Cidinha e Regina pelo repasse das informações e pelas palavras de motivação direcionadas aos alunos e à Virgínia porque de imediato disse sim à proposta de realização do encontro entre a experiência e os “aprendizes de feiticeiro”.

Quanto aos alunos, sem dúvida acho que eles gostaram. Mas para ficarmos com a sensação de missão cumprida, vamos dar eles a oportunidade  de registrar  aqui o sentimento de cada um sobre o encontro.

Agora  é com você   “aprendiz de feiticeiro” use o espaço Comentário para registrar o seu sentimento/opinião, perguntar  e falar direto com as bibliotecárias que nos receberam  no dia 17/03. Deixar o seu comentário é obrigatório, porque neste caso é muito fácil participar!!!!!
((•)) Ouça este post

Serviço de Referência - Vamos Avaliar?(Gisele)

Usar o blog Fontes nas aulas é uma forma de nos interargirmos com a prof. Célia, o computador e a internet...para quem nao sabe mexer muito bem nas publicações de postagens...
A última aula no lab. de informática foi deliciosa...todos alunos presentes puderam tirar suas dúvidas e também a aprender um pouco mais a usar o blog.

Na minha opinião o ponto negativo com as aulas no laboratório são os computadores lentos, as vezes a internet é lenta e não conecta e assim perdemos muito tempo esperando as páginas serem carregadas.
Prof. Célia gostaria de parabenizá-la pela iniciativa do blog e dizer que as aulas no lab. são prazerosas...

((•)) Ouça este post

domingo, 20 de março de 2011

Serviço de Referência - Vamos Avaliar?(Samira)

Como já foi citado por vários colegas, esse novo formato de aula é de grande valia para nossos conhecimentos, pois através dele aprendemos a lidar cada vez melhor com ferramentas tecnológicas, além de proporcionar mais interação entre alunos e professores. Fico feliz em ver que neste blog temos a atenção da profª Célia, que atende a nossos pedidos.

Mas, gostaria de propor para a profª Célia, um treinamento em pesquisa. Conversando com alguns colegas, percebi que a maioria tem conhecimento de sites como scielo, mas nao sabem usá-lo. Essa é minha dica... ((•)) Ouça este post

sábado, 19 de março de 2011

Bibliotecários em ação: compartilhando experiências

Fonte: http://www.istockphoto.com
Vamos começar a partir de hoje no blog Fontes o relato de experiências profissionais com diversos profissionais da área.  Neste espaço você vai conhecer as experiências  dos bibliotecários  e ver como são grandes  as possibilidades de atuação para um profissional da área. Para inaugurar este espaço chamado Bibliotecários em ação: compartilhando experiências convidamos a bibliotecária  Augusta Aparecida Cordoval Caetano, Diretora de Gestão de Documentos do Arquivo Público Mineiro para "falar conosco".  Desde já agradecemos pela oportunidade que a Cida está nos dando em compartilhar conosco sua trajetória profissional. Vamos conferir, então?
 
☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺☺
"Parabenizo o Centro Universitário de Formiga e a professora Célia Dias pela iniciativa do Blog, agradeço o convite para participar deste encontro virtual e repasso a vocês, futuros colegas bibliotecários, algumas informações  sobre a minha vida profissional.

Em 1987, comecei a trabalhar no Arquivo Público Mineiro (APM), instituição centenária, subordinada à Secretaria de Estado de Cultura, que tem como finalidade orientar o processo de gestão, executar o recolhimento, a guarda e a preservação e promover o acesso ao acervo arquivístico da Administração Pública Estadual e dos documentos privados de interesse público. Trabalhei, primeiramente, como atendente na Sala de Consultas, uma espécie de “bibliotecária/arquivista de referência”, o que me proporcionou um vasto conhecimento do acervo bibliográfico e documental e dos instrumentos de pesquisa necessários para o bom atendimento aos usuários do APM. A partir dessa experiência, fiquei tão entusiasmada que busquei o caminho para ser “realmente” uma bibliotecária. Em 1998, conclui o curso de Biblioteconomia, na Escola de Ciência da Informação da UFMG e passei, então, a coordenar a biblioteca do APM. Uma das realizações dessa época foi a criação do Alertarquivo, publicação mensal dirigida aos funcionários, com informações sobre os livros, folhetos e periódicos recebidos pela biblioteca. Coordenei, também, o Projeto de Obras Raras e a publicação do CD Obras Raras e Preciosas do Arquivo Público Mineiro. Em 2003, assumi a Diretoria de Gestão de Documentos (DGD) e estou nesse cargo até hoje. Essa diretoria planeja e coordena os programas de gestão de documentos junto às instituições da Administração Pública Estadual. Ela presta assistência técnica a essas instituições quanto ao processo de análise, avaliação e seleção de documentos produzidos, tendo em vista a sua destinação para a guarda permanente ou a eliminação daqueles destituídos de valor informativo e probatório. Ressalto, aqui, um grande projeto coordenado pela DGD, iniciado em 2007 e finalizado em 2010, que consistiu na elaboração do Plano de Classificação e na Tabela de Temporalidade e Destinação de Documentos de Arquivo para as atividades finalísticas dos órgãos do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais. Destaco, também, a publicação do Manual de Gestão de Documentos (Cadernos Técnicos do Arquivo Público Mineiro, v.1) em 2007.É um trabalho gratificante! Plantamos sementes para colhermos a preservação da memória administrativa do Estado de Minas Gerais!Convido vocês para uma visita ao Arquivo Público Mineiro. Ela poderá ser agendada por meio do e-mail da Diretoria de Acesso à Informação e Pesquisa: daip.apm@cultura.mg.gov.br.  Será um prazer recebê-los!". Augusta Aparecida Cordoval Caetano
((•)) Ouça este post

A experiência desse novo formato de aula (Natália R)

Esse novo formato de aula proposto pela professora Célia,está sendo otimo para todos nós alunos do curso de Biblioteconomia!Pois além de ficarmos mais motivados pois é um diferencial do que nos vinha sendo proposto até o momento,Há uma interação entre os alunos,professores e profissionais da informação,o blog acba por se transformar num canal onde podemos nos expressar,falar do que gostamos,do que está faltanto para a melhora do nosso curso!Enfim está sendo um aprendizado para todos nós.... ((•)) Ouça este post

Serviço de Referência - Vamos avaliar ??(Luana e Thamara)

Esta sendo de grande valia usar o blog Fontes nas aulas, ele é uma forma de nos interargirmos com a prof. Célia e reune todos os assuntos da nossa area.
Mas acho que as vezes ele pode ser meio confuso para quem nao sabe mexer muito bem nas publicaçoes de postagem, pois muitos colegas tiveram dificuldades em se tornar um colaborador do blog.

A ultima aula no lab. de informatica foi realmente otima, todos alunos puderam tirar suas duvidas e também a aprender um pouco mais a como usar o blog.
A prof. Célia esta tentando com o blog (aos pouco ela vai conseguindo) fazer com que nós estejamos preparados para saber lidar com as novas tecnologias.
O unico ponto negativo que vemos com as aulas no laboratório são as condiçoes que este as vezes se encontrar, quando chegamos no lab e os computadores estao desligados estamos perdendo um certo tempo, e também quase sempre algum computador está estragado e assim, não temos computadores disponiveis para todos os alunos e a conexão quase sempre é muito lenta.
Mas, tirando esses lados negativos, as aulas são ótimas e estamos gostando de ter um diferencial com este blog.



Luana e Thamara - 3º período
((•)) Ouça este post

sexta-feira, 18 de março de 2011

IV Fórum de Biblioteconomia do UNIFOR-MG


O curso de biblioteconomia do UNIFOR vai promover IV Fórum de Biblioteconomia do UNIFOR-MG nos dias dias 24 e 25 de março. Este Fórum tem como  tema “O Papel Social do Bibliotecário em Diferentes Dimensões do Gerenciamento da Informação” e está aberto à participação de alunos, professores, profissionais da área e demais interessados. Faça sua inscrição até o dia 24/03 CAE (Central de Atendimento ao Estudante). 
Programação

No dia 24/03 o Fórum vai contar com a presença da Prof.ª Drª Bernadete Campelo da Escola de Ciência da Informação da UFMG  que vai abordar o tema “Competência Informacional: o papel educativo do bibliotecário”. Emilce Maria Diniz, bibliotecária da Faculdade Milton Campos e Conselheira do CRB-6  vai falar sobre “O bibliotecário no processo de atualização das normas da ABNT ”  para fechar a programação desta noite será feito o lançamento blog “Fontes”, desenvolvido pela professora de Biblioteconomia do UNIFOR-MG, Profa. Dra. Célia da Consolação Dias.

No dia 25, às 19 horas vamos  ter a “A aplicação do software livre de biblioteca: BIBLIVRE” Nelson Marcos Ferreira. Às 20 horas, os participantes irão participar do momento “Depoimentos: relatos de experiências dos egressos da Biblioteconomia”. Para encerrar o evento, às 21 horas, serão realizados os lançamentos do informativo “BIBLIO INFORMA”, feito pelos alunos do curso de Biblioteconomia, e de documentários da série “Conservação e Preservação de Documentos”, produzidos pelos acadêmicos do 5º período. Veja mais informações sobre as inscrições
((•)) Ouça este post

quinta-feira, 17 de março de 2011

Elementos conceituais do princípio da proveniência

Para entender o Princípio da Proveniência, ou respect des fonds, como foi primeiramente conhecido, é necessário conhecer também o conceito de fundo.
No Dicionário de Terminologia Arquivística (1996, p. 40) o fundo é a “unidade constituída pelo conjunto de documentos acumulados por uma entidade que, no arquivo permanente, passa a conviver com arquivos de outras”.

Em sua circular, Natalis de Wailly dava a noção de “fundo de arquivo”, que nada mais é que reunir os documentos de um corpo, estabelecimento, família ou indivíduo, arranjando-os de forma que os documentos que apenas se relacionem com eles não se misturem.

Martín-Pozuelo Campillo (p. 25, 1996) diz que “a formulação do Princípio da Proveniência não é resultado de um único momento nem sucede em um único lugar”, isso se dá principalmente pelo fato de vários autores darem um duplo valor ao Princípio da Proveniência e, consequentemente, um duplo conteúdo. Esses autores dividem o Princípio da Proveniência em dois princípios diferentes, mas que se encontram implícitos e são intimamente relacionados: o princípio de respeito aos fundos e o princípio de respeito à ordem original.

O primeiro consiste em dizer que os arquivos ou fundos de arquivo de determinada procedência não deve misturar-se com os de outra procedência, ou seja, não mesclar com outros documentos de qualquer natureza.

Já o segundo, estabelece que os documentos que compõem estes arquivos ou fundos de arquivo devem manter a classificação e a ordem dada pela própria instituição de origem, dessa forma, refletindo a organização interna da instituição.

Os  autores caracterizam o  Princípio da Proveniência como um princípio bi-facetado porque ele contém o princípio sob o ponto de vista externo, o que inclui o respeito aos fundos e sob o ponto de vista interno  que inclui o respeito à ordem original na visão de  Duranti.

Fonte:
YADO, Aline Midori Manfré;GUIMARÃES, José Augusto Chaves. O Princípio da Proveniência: uma abordagem conceitual no âmbito da literatura arquivística. In: VII Congreso de Archivologia del Mercosur, 2007, Viñas del Mar. Anales del VII Congreso de Archivologia del Mercosur, 2007.
((•)) Ouça este post

5º período,disciplina Gestão de Documentos I, sejam bem vindos!!

Para otimizar o aprendizado e compartilhar informações/conhecimento sobre os temas discutidos em nossa aula eu os convido a participar deste novo ambiente onde você pode encontrar mensagens relacionadas a nossa disciplina, em caso de dúvidas você pode ter voz através do teclado de um computador para comentar os temas discutidos, postar informações de interesse de todos e usar o blog para trocar informações, localizar fontes de informação, informações sobre oportunidades de concursos, localizar material bibliográfico para te ajudar no seu TCC e vários outros assuntos de nosso interesse.  Vamos usar este espaço para  promover debates que permitam a reflexão sobre os temas da nossa disciplina, certo?!!

Então para inaugurar nossos contatos  aqui no Blog Fontes peço que cada um de vocês use o espaço Comentário deste Post para se apresentar (nome, dizer um olá a todos: professor e colegas e dizer brevemente de 2 a 3 linhas sobre o que aprendeu em nossa disciplina). Depois nós vamos juntar tudo como assim como um texto(colcha) de retalho e ver como fica!!!
((•)) Ouça este post

Pergunta ao bibiliotecário (Jordano)

Como você lida com os usuários que não entendem que a biblioteca possui contratempos e as vezes não dá para atende-los rapidamente apesar de tentar?  Quando você não consegue atender o pedido do usuário, como você reage? ((•)) Ouça este post

Pergunta ao bibliotecário(Vinícius)

1)Qual é o principal documento(obra)da Biblioteca?
2)Sobre o Serviço de Refêrencia como o usuário pode se identificar sobre o perfil do bibliotecário?Em quais aspectos?
3)Como vocês explicam a questão dos pilares da SRI segundo os usuários:usuário de informação desejada,bibliotecário(e ou intermediário qualificado).?

Enviado por Vinícius(e-mail) 17 de Março de 2011 13:21 e
((•)) Ouça este post

Pergunta ao bibiliotecário (Janaína, Nathane, Samira)

No serviço de referência de uma unidade de informação, como o bibliotecário deve promover o fluxo de informações entre a fonte e o usuário? Quando conclui-se que o usuário não necessita de mais informações? ((•)) Ouça este post

quarta-feira, 16 de março de 2011

pergunta ao bibliotecario(luana, thamara e thais)

1)Queriamos saber de você, qual é o perfil de um bibliotecário de referência de uma biblioteca universitaria ???

2)Quais são as maiores dificuldades enfrentadas por um bibliotecário de referência ???

3)E existe um processo a ser seguido para se realizar um trabalho de refêrencia???

4)e quais são esses processos ??? ((•)) Ouça este post

Pergunta ao bibliotecário(Natália R.)

1)Qual a principal dificuldade que vocês encontram atualmente para atender de forma eficiente o usuário no Serviço de Referência?
2)Como o usuário aborda o tema a ser procurado,de forma geral?
((•)) Ouça este post

Futuro das bibliotecas universitárias

Eu fui lá conferir o Seminário Biblioteca universitária: uma visão para o futuro para ver o que está sendo dito sobre o futuro das bibliotecas e em especial as universitárias. A mesa redonda foi composta por representantes do IBICT, da ECI/UFMG e USP. Para quem não foi, vou contar rapidamente o que foi discutido lá. O que deu o tom das apresentações foi o novo cenário em que as bibliotecas estão inseridas. Este cenário é formado por um mundo conectado ou em vias de se conectar, porque não há como fugir a esta tendência. Este mundo em conexão se reflete diretamente nas bibliotecas....e se isto acontece como poderíamos pensar em um novo desenho para as bibliotecas? Á Bianca Amaro   (profissional interessantíssima, leia a entrevista dela )  do IBICT ficou a missão de apontar alguns caminhos e de levar á reflexão toda a platéia formado por professores, bibliotecários e alunos. Ela discutiu pontos como: porque não pensar em um atndimento á distância? como tratar os materiais digitais, serviço de disseminação seletiva de informações (que nós já sabemos fazer) para os acervos digitais, compartilhamento da produção científica. Outro ponto muito interessante e instigante foi sobre as ferramentas da web 2.0 e o alerta de que os bibliotecários devem olhar para estas ferramentas com outros olhos (porque não criar 1 blog,colar a sua biblioteca no Facebook, no twitter?).  em relação ao perfil a profª. Cida Moura sugeriu-se um bibliotecário pesquisador e porque não pensar em uma especialização em tecnologias, ou um analista  sistemas de informação, ou como ela mesma disse sobre novos  nomes para um profissional com este perfil: Curador Informacional . E, por último Marisa Leal  Couto bibliotecária da USP nos apresentou o SiBiUSP e o novos contextos de inclusão das bibliotecas. Ela deixou uma questão interessante: como podemos usar todo o ferramental de tecnologias da web para trabalhar as atividades das bibliotecas ou para selecionar, disponibilizar e tornar accessíveis as fontes de informação.  Dá para parar e pensar, não dá? E, para complementar  vou trazer uma questão do prof. Ricardo Barbosa, o mediador desta mesa redonda, após a fala das 3 meninas que citei anteriormente: qual o futuro que queremos fazer em nossas biblitecas? Como disse a Bianca não vale fircar só frequentando cursos e eventos técnicos, os bibliotecários têm que atitude!!Chega de escrever e vamos pensar nesta questão. Se você quizer contribuir com este debate pode usar o Comentário deste post para deixar a sua fala!!!!
((•)) Ouça este post

Pergunta ao Bibliotecário (Gisele, André e Laís H.)

Perguntas para as bibliotecárias da Biblioteca Ângela Vaz Leão do UNIFOR-MG:

1. Se a referência é a "preocupação chave" de um bibliotecário, por que tanto a formação como seu trabalho se constroem a partir da organização e do processamento da informação?

2. Como exigir que um profissional com uma formação, muitas vezes voltada para o processo organizacional e de recuperação da informação, esteja apto para lidar com a pluralidade situacional do usuário? Ou ainda, a de considerar os casos extremos: o especialista que não sabe lidar com questões mais generalistas ou o profissional com defasagem de conhecimentos gerais básicos? Como vocês bibliotecárias do UNIFOR-MG se classificam?


((•)) Ouça este post

Sumário da CDU está on-line

Recebi esta mensagem e quero compartilhar com  vocês que são usuários da CDU. A equipe editorial da CDU Clasificação Decimal Universal pretende criar um canal de comunicação entre os usuários atuais e os potenciais para compartilhar informações. Eles estão apresentando on-line um resumo da CDU, uma versão reduzida da classificação de 2000, que contém as classes (com as suas notas e exemplos de combinação) e está disponível online, de forma livre como para uso e distribuição. Este resumo está traduzido em 36 idiomas, inclusive o português e pode ser acessado através do link
((•)) Ouça este post

SciELO Brasil no topo de ranking mundial é motivo de orgulho

Já falamos antes aqui no blog Fontes sobre os portais de acesso aberto e temos muito o que aprender com esta nova proposta de acesso ao conhecimento que promove o compartilhamento de informações e experiências de pesquisadores. A SciELO Brasil, sigla para Scientific Electronic Library Online, abrange uma coleção selecionada de 221 periódicos brasileiros, publicados em acesso aberto na internet. Criada em 1997, é um programa especial da FAPESP, em parceria com o Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme) e com a participação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).Veja a notícia na íntegra, lendo  a Agência FAPESP.     É interessante ver também o ranking dos portais web no mundo
 Fonte: Agência FAPESP
((•)) Ouça este post

terça-feira, 15 de março de 2011

Pergunta ao Bibliotecário(Alexandra e Matheus Augusto)

1- Qual é a sua maior dificuldade enquanto bibliotecário de uma universidade.
2- Ja nos foi informado que os usuários que mais frequentam a biblioteca são os alunos do curso de Direito .
2.1 Em sua opinião por que outros alunos não frequentam a nossa biblioteca com tanta assiduidade?
2.2 O unifor ja fez alguma pesquisa para descobrir por que este fato vem acontecendo? ((•)) Ouça este post

segunda-feira, 14 de março de 2011

Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais em Porto Alegre

A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)  vai realizar em Porto Alegre no período de 17 a 19 de maio de 2011 o 6º Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais - VI SIBD. A Tecnologia e Comunicação digital para a mediação da informação é o  tema do simpósio que abrange abrange os eixos temáticos da gestão da informação digital, assim como os serviços e a sua mediação em bibliotecas. Assuntos como cibercultura e o pensamento contemporâneo, gestão e as perspectivas de futuro em bibliotecas digitais, a cultura digital e o seu impacto na comunicação científica e serviços para ambientes virtuais serão amplamente debatidos no Evento. Veja mais detalhes no site do evento
((•)) Ouça este post